Mamoplastia Redutora

No Brasil, houve uma mudança visível nos conceitos de estética mamária nos últimos anos, principalmente em relação ao volume mamário. As técnicas de mamoplastia redutora realizadas por alguns cirurgiões brasileiros ficaram internacionalmente conhecidas, tamanha era a procura pelo procedimento de redução mamária no país.

Atualmente, as mamas volumosas estão mais valorizadas, e este fenômeno ocorre em todas as idades. Como conseqüência, não é mais tão comum a redução muito radical do tamanho das mamas. Atualmente, em casos extremos de hipertrofia mamária aplicam-se as técnicas clássicas; porém, em reduções mamárias moderadas a pequenas, podemos reduzir o tamanho das cicatrizes e modelar melhor o formato mamário.

A cirurgia enfatiza, principalmente, adequar o tamanho da mama às proporções de cada paciente, levando em consideração a posição das aréolas e o contorno mamário. A mamoplastia redutora pode melhorar significativamente a qualidade de vida, principalmente em relação aos problemas posturais, dificuldade em vestir-se, em praticar esportes e também na esfera emocional.

Geralmente, o procedimento é realizado com anestesia geral ou anestesia local e sedação nos casos de menor complexidade. As incisões são cuidadosamente posicionadas para que as cicatrizes sejam mínimas.

Informações Complementares

Cicatriz – A cirurgia de mamoplastia apresenta normalmente uma cicatriz com o formato de um “T” invertido (técnica clássica), em L ou apenas uma cicatriz vertical. O tamanho da cicatriz irá variar em função do tamanho da mama e da quantidade de pele e tecido mamário a ser retirado. Importante lembrar que quelóides e cicatrizes inestéticas podem ocorrer independente da técnica cirurgica correta.

Anestesia – As mais utilizadas são a anestesia local e sedação, anestesia peridural e sedação e a anestesia geral.

Cuidados – São necessários cuidados com a troca de curativos, uso de antibióticos e analgésicos, acompanhamento e retornos periódicos.

Pós-operatório – O paciente poderá realizar a maior parte de suas atividades cotidianas, lembrando é claro de seguir as recomendações de não pegar pesos, manter a movimentação de braços dentro dos limites recomendados e seguir as orientações médicas.